Tag Archives: Jornal de Gaveta

Ainda não é hora do aDeus

Em 11 de agosto de 2015

Na noite de quinta-feira (6), no bar Teatro do Mamulengo, Miró da Muribeca, o poeta-cronista (como ele mesmo se denomina), lançou seu novo livro. No mesmo dia em que completou 55 anos de vida, o aDeus de Miró chegou não para se despedir, mas para confirmar que ele ainda terá muitos momentos para poetizar.

De cara, o título traz um duplo sentido muito interessante e digno do poeta versátil e ágil que ele é. Numa conversa com o Gaveta, explicou que essa ambiguidade é proposital. Apesar do título já existir antes mesmo de ser internado no hospital, mês passado, o nome traduz sentimentos que vieram durante a estadia forçada e logo depois que o poeta recebeu alta. Inicialmente o questionamento “Há Deus?” poderia ser o título da obra e também teria a ver com a morte da mãe, um momento difícil para a vida de Miró. Mas, depois de ter sido internado por causa de complicações vindas principalmente pelo consumo de álcool, o título traz outra interpretação: Adeus. “Agora é o adeus ao álcool [..] ao Miró que eu não quero mais”, declara o poeta. Por fim, quem resolveu que seria aDeus foi Wellington de Melo, editor do Mariposa Cartonera, responsável pela publicação do livro, fazendo referência às duas interpretações e causando um duplo sentido bastante propício.

São 33 poemas. “A idade de Cristo”, Miró fala da coincidência. Eles foram selecionados por Wellington de Melo, editor do Mariposa Cartonera, responsável pela publicação do livro. “Havia um conjunto de poemas que haviam sido selecionados por Karla Melo, da Confraria do Vento. Algo em torno de cento e cinquenta poemas que envolveriam um projeto que acabou não indo adiante. Miró me deu o ar​quivo e disse que eu teria liberdade para escolher. Fiz uma seleção pensando nesse momento dele e mostrei. Tiramos um poema e colocamos outros, chegando ao número de trinta e três textos”, conta Wellington.

Apesar do recém-lançamento, já há em vista outro trabalho a ser divulgado. “Já estamos fazendo uma nova edição do livro e ele tem a ideia de reunir outros poemas e fazer outro livro. Vamos conversando sobre isso. O importante agora é a recuperação dele e manter a saúde e a energia”.

Todas as 150 unidades autografadas e enumeradas do livro já foram vendidas, mas ainda é possível adquiri-lo numa segunda remessa que chegará em cerca de 15 dias. Os livros podem ser comprados pelo site da Mariposa Cartonera. Em breve, serão indicados pontos de venda.

Foto: Priscila Buhr
Foto: Priscila Buhr