Descobrindo Manoel

Por Ana Roberta Amorim
29 de março de 2015

O poeta Manoel de Barros foi tema do terceiro Sarau da Juventude, promovido pela Academia Pernambucana de Letras (APL), nesse sábado (28), por volta das 15h30min. Acontecendo desde o ano passado, sempre com o intuito de despertar o interesse dos jovens pela literatura, o sarau convidou a nova geração para o debate e a leitura de textos do autor. Emanuele Alves, estudante de Letras da Universidade Federal de Pernambuco e vice-coordenadora do evento, iniciou sua fala com uma rápida biografia do escritor. Luna Vitrolira, também aluna de Letras da mesma instituição, foi ao sarau mostrar seus talentos artísticos declamando textos do autor homenageado. Já o público mais experiente foi representado por Sônia Carneiro Leão, que é psicanalista e amante das poesias de Manoel, e participou ativamente da mesa lendo vários escritos do poeta e comentando sobre eles. Além delas, Fátima Quintas, presidente da APL e mediadora da conversa, iniciou a mesa discorrendo brevemente sobre a importância de Manoel de Barros para a poesia e literatura brasileiras.

Processed with VSCOcamDa esquerda para a direita Emanuele Alves, Fátima Quintas e Sônia Carneiro Leão

Apesar de Carlos Drummond de Andrade ter considerado Manoel de Barros (morto em novembro de 2014) o maior poeta do Brasil, como pontuou Fátima Quintas no começo do evento, o sentimento de recém-encontro com o quase desconhecido poeta, principalmente pelo público jovem, parece tão presente quanto a sensação de encanto ao descobrir as palavras do autor. “Eu o conheci há pouquíssimo tempo, por causa do sarau”, comentou Emanuele Alves numa conversa com o Gaveta. “Mas, sinceramente, já me apaixonei”, acrescentou. A jovem escritora, aliás, leu um texto escrito por ela, Uma Crônica Sobre Nada, que conta a forma como conheceu Manoel, através do Livro Sobre Nada, do próprio autor. “Eu o descobri há uns três anos, somente, e ele é pouco falado”, relembrou a outra jovem convidada, Luna Vitrolira. “Poucas vezes também eu tive a oportunidade de ler textos dele ou declama-los”, lamentou. A estudante recitou vários poemas de Manoel quando lhe foi dada a palavra, como Retrato do Artista Quando Coisa, Os Deslimites da Palavra e O Menino que Carregava Água na Peneira. Além disso, emocionada, Luna declamou outro texto de Emanuele, Pensamentos Soltos.

Processed with VSCOcamLuna Vitrolira declamando um dos poemas de Manoel de Barros

Ao final, foi dado espaço para o público presente falar sobre o evento e o que mais se ouviu foram elogios ao que foi apresentado em pouco mais de uma hora e meia. Tanto à forma como Manoel de Barros foi exposto, de modo singelo (como as próprias palavras que ele escreve, segundo Luna Vitrolira), como às interpretações proporcionadas pelos textos lidos.

Processed with VSCOcamPúblico se encantando com as palavras de Manoel

Segundo a presidente da APL, Fátima Quintas, o próximo sarau focará ainda mais especificamente os jovens. Emanuele e Luna já confirmaram participação. A data ainda não foi acertada.

O acesso à Academia Pernambucana de Letras é pela Avenida Rui Barbosa, próximo ao Parque da Jaqueira. A entrada é gratuita e a presença é mais do que prazerosa.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s