A História que o Espaço tem

 Por Ana Roberta Amorim
1 de maio de 2015

A PRAÇAA praça

A Praça do Sebo, localizada na Rua da Roda, no bairro de Santo Antônio, é como um oásis literário no concreto imediatista da cidade do Recife. Pequena, aconchegante e esquecida. Lembrada de vez em quando em época de compras didáticas, quando o objetivo é mais economizar do que viajar. Sim, porque é isso que a literatura representa para quem a aprecia. E é isso o que a Praça pode proporcionar para quem reconhece seus encantos e não se assusta com seu descaso público (mesmo depois da reforma, em 2013).
Prestes a virar mais uma página de seu 33º capítulo, no próximo dia 30 de agosto, o Sebo, no entanto, mostra que ainda consegue chamar atenção de quem não fecha os olhos ou tapa os ouvidos para o que o espaço pode oferecer. Uma dessas pessoas atentas aos espaços coletivos da cidade foi Ana Carolina Sobral. Bibliotecária, há dois anos Carol resolveu usar seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) como meio para mostrar que aquele espaço ainda tinha muita história para contar. “Sempre guardei boas lembranças da Praça do Sebo, quando ia com minha mãe, atrás de livros didáticos mais baratos. Todo ano, lá estávamos nós. Era o meu passeio preferido: procurar livros. O estímulo em ler e o interesse por livros é influência dela. Até que, durante minha graduação em Biblioteconomia, a Praça ressurgiu em minha vida”. Foi a partir disso que Carol teve a ideia de estudar essa parte da cidade, entender seus meandros e problemas, dilemas e encantos, dificuldades e interações. “Uma praça, por si só, já carrega o conceito do encontro, da convivência, da troca, e deve ser utilizada para tal, concorda? Imagine uma praça que, ainda por cima, vende livros? Bem no coração da cidade? Um espaço desse precisa ser visto com grande sensibilidade, oferecer atividades e incentivar a leitura.”

O seu trabalho de campo se iniciou nas redes sociais. Foi criada uma página no Facebook – que, hoje, tem quase duas mil curtidas – na qual curiosidades, serviços e depoimentos dos frequentadores da praça foram disponibilizados a fim de divulgar e comemorar o aniversário, na época, de 32 anos do local. Ao mesmo tempo, ela manteve contato com os sebistas, que, segundo Ana Carolina, receberam muito bem a iniciativa da estudante interessada em conhecer – e fazer ser conhecido – aquele espaço público literário. “A verdade é que criamos uma verdadeira relação de amizade. Todo sábado que posso estou na Praça. Se surge alguma folga durante a semana, também estou na Praça. Gosto de observar a dinâmica do lugar e conhecer um pouco mais de cada livreiro, suas necessidades, sonhos, medos… Eles foram muito receptivos quando iniciei a ideia, não houve resistência”.

Cátia Sales, há 17 anos trabalhando na Praça, mostra a satisfação ao saber do projeto da, na época, graduanda de biblioteconomia. “Quando Ana Carolina viu que a praça estava esquecida, ela entrou em contato comigo”, disse, garantindo que a estudante que “o que você fizer pra movimentar a Praça do Sebo, eu abraço de corpo e alma”.

A receptividade dos sebistas – mostrada em frases entusiasmadas ouvidas pela estudante, como Precisamos de gente que olhe pra cá dessa forma!” / “Você me deu um novo ânimo!” – se revela pertinente quando se olha ao redor da Praça do Sebo. Apesar da reforma feita em meados de 2013, o local ainda carece de cuidados especiais. A estátua do poeta pernambucano Mario Mota, por vezes, passa despercebida, devido à sua cor desbotada e gasta. O piso de pedras portuguesas se apresenta solto em alguns pontos e a quantidade de bancos no local ainda se apresentam em poucas quantidades, o que acaba sendo pouco convidativo para quem deseja sentar e ler um livro recém-comprado ou trocado num dos dezenove boxes de vendas. “Falta um pouquinho mais de atenção. Um reforma de qualidade (e quando digo reforma, envolve exatamente a estrutura física e a utilização espacial de forma inteligente). Um investimento que vai valer a pena”, afirma Carol, comentando sobre a falta do olhar especial que o poder público ainda precisa dar.

MARIO MOTAMário Mota entre as pessoas

Hoje, o projeto de TCC de Ana Carolina se transformou em eventos proporcionados para movimentar, integrar e trazes pessoas à Praça do Sebo. No sábado, 25, em lembrança ao Dia Internacional do Livro (comemorado dia 23), o projeto organizou o Abril Pro Livro, em alusão ao festival de música, Abril Pro Rock, que aconteceu no mesmo período. Recitais, apresentações de bandas da cidade e muita literatura proporcionada pela venda promocional de livros e trocas com os sebistas e entre os participantes do evento foras as boas consequências que o projeto trouxe. “Queremos abrigar encontro de poetas, lançamento de livros, saraus, exposições, oficinas, bate-papos, apresentações musicais e teatrais, contação de histórias, entre tantas outras manifestações artísticas. Chamar o povo para o que é do povo! Aproximar o leitor do seu livro”, explica a idealizadora. Apesar do apoio apenas logístico dado pela Secretaria de Turismo e Fundação de Cultura da Cidade do Recife, o público-alvo, conquistado a partir das redes sociais, mantêm-se firme e crescente. “ Na internet, a ideia foi tão bem aceita que passou a ser chamada de #MovimentePraçaDoSebo. Poetas, artistas e entusiastas abraçam a Praça como quem diz “a Praça é nossa!”. Apoio nesse sentido temos! E muito! Inclusive, gostaria de registrar meu agradecimento a todo mundo que participou de alguma forma, desde agosto de 2013 até hoje”. A colaboração, vinda, por exemplo, por meio da venda de camisas com a marca do projeto, acaba chegando das pessoas comuns, que compartilham da visão de Ana Carolina e acompanham seu trabalho.

E é a sebista que encerra emocionada falando sobre a importância da Praça para ela e para a cidade, que é privilegiada em ter um espaço que, mesmo sofrendo descaso, ainda é motivo de orgulho. “Sebo não é livro velho. E não é só livro. É o espaço em si. O Sebo ainda tem muita história pra contar”.

CÁTIA SALESCátia e seus livros

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s