Monthly Archives: Setembro 2015

Asa branca

ncnLpkZ

No meu corpo as tuas cinzas

Debaixo dos braços o branco

Branca é a terra

Árida enlaçada em sertão

Branca é a minha asa

que plana para o sul verde

Para trás fica a minha terra

e meus filhos que diminuem…

Branca é a minha esperança

nessas novas veredas

Mas quero acolher a seca em mim

Pois as águas do meu coração são muitas

Há cura, ainda há valor.

“Hoje eu sou uma senhora, velha como o que aprendi.
Hoje eu sou uma senhora, velha como o molde de onde tento sair.
Letícia, aspirante a jornalista, amante de cinema, leitora indisciplinada e imersa na constante tentativa de demonstrar pelos meus versos as minhas verdades mutáveis.”

A Mulher Recife

VV95byQ
Ilustração por Julia de Belli

Ah, Recife… Como uma mulher estuprada, a culpa é sua. A culpa é sua porquê você quis lutar contra os grandes homens. E nessa cidade é errado lutar contra grandes homens.

Ah, Recife… Como numa cena de estupro, ninguém pode te proteger. Ninguém pode te proteger porquê será agredido também.

Ah, Recife… Se todos pudessem te ouvir e te amar. Mas você é uma cidade estuprada, uma cidade que não tem voz e que pra muitos merece a condição.

Ah, Recife… Mas você é uma cidade que tem povo e quem tem povo, TEM VIDA.

Ah, Recife… Enquanto houver povo, haverá luta e não haverá preço que te compre.

-TF é uma pessoa espontânea e divertida, mas que precisa “caotizar” de vez em quando…  São em momentos assim que nascem textos como esse.